viewthroughconversion
  • Procedimento

Biópsia

O que é uma biópsia?

 

A biópsia é um procedimento realizado exclusivamente por médicos e consiste na retirada de células ou fragmentos de tecidos de praticamente qualquer parte do corpo para que sejam analisados. O material biopsiado costuma ser estudado no microscópio por médico patologista e dependendo da doença, ser submetido a análises adicionais como estudos imuno-histoquímico e genético.

Para que serve uma biópsia?

A biópsia é útil para realizar a análise minuciosa de muitas doenças benignas e malignas, determinando o diagnóstico definitivo, o prognóstico e a indicação de qual o melhor tratamento para cada paciente.

Quais são os tipos de biópsia?

Classicamente, as biópsias podem ser abertas (cirúrgicas):

- Excisionais: retira-se do corpo do paciente toda a estrutura anatômica a ser estudada.

- Incisionais: é feito o acesso por meio de um corte na pele e retira-se fragmentos do órgão de interesse.

Com o avanço da medicina e a busca por métodos diagnósticos minimamente invasivos, priorizando a redução de risco e o maior conforto dos pacientes, desenvolveram-se métodos de biópsias por agulha (biópsia percutânea):

- Agulha fina/Punção Aspirativa por Agulha Fina/ PAAF: é feita punção e aspiração de conteúdo celular do órgão de interesse, com anestesia local e geralmente alta hospitalar do paciente logo após o procedimento, já que possui mínimo risco. Permite o estudo citológico do material, útil principalmente em doenças de linfonodos, da tireóide e da mama.

- Agulha grossa: a biópsia por agulha grossa consiste na retirada de fragmento cilíndrico, com até 2,2 cm de comprimento. Permite análise completa da estrutura do tecido, incluindo análise imuno-histoquímica e genética. Geralmente feita com anestesia local e em regime de hospital dia, com alta hospitalar após o paciente ficar poucas horas em observação. É método de escolha no diagnóstico de neoplasias, principalmente em estruturas da pele, músculos, ossos, medula óssea, linfonodos, pulmão, mama, órgãos abdominais (fígado, pâncreas, baço, rim) e pélvicos (ovário, útero, vagina, próstata).

Quem está habilitado a realizar a biópsia?

A biópsia é feita por médico capacitado, dependendo do tipo de biópsia a ser feito e da localização da lesão a ser estudada. Podem ser os médicos cirurgião (biópsia incisional e excisional), dermatologista (biópsia da pele), mastologista (biópsia da mama), nefrologista (biópsia do rim), hepatologista (biópsia do fígado), hematologista (biópsia da medula óssea) e o Radiologista Intervencionista.

Qual a vantagem de realizar a biópsia com o médico Radiologista Intervencionista?

O médico Radiologista Intervencionista possui treinamento específico e certificação conferida pelos Conselhos de Medicina e Sociedades Médicas competentes para realizar diversos tipos de biópsias. Utilizam métodos de imagem como a mamografia, a ultrassonografia (USG), a tomografia computadorizada (TC), a ressonância magnética (RM) e a fluoroscopia para guiar os procedimentos em tempo real. Com isso, alcançam a estrutura de interesse de maneira precisa e com trajeto mais seguro (evitando atravessar outras estruturas como vasos e vísceras ocas), aumentando a taxa de sucesso do procedimento com a vantagem de diminuir os índices de complicações. Sendo assim, a maior parte dos procedimentos podem ser realizados com anestesia local e em regime de hospital dia, com alta hospitalar após poucas horas de observação.

Quais tipos de biópsias os Radiologistas Intervencionistas estão capacitados a realizar?

Os Radiologistas Intervencionistas estão aptos a realizar virtualmente biópsias de qualquer estrutura do corpo humano, desde que sejam identificadas por algum método de imagem e o trajeto da agulha seja considerado seguro.

Podem servir de exemplo as biópsias de linfonodos superficiais (cervicais, inguinais); linfonodos profundos (torácicos, abdominais); da cabeça e do pescoço (superficial ou profunda); da tireóide; do tórax (pleura, pulmão, mediastino); lesões de partes moles (pele, músculo, gordura, tecido conjuntivo) superficiais e profundas; lesões na mama; do abdome; do fígado (nódulo ou randômica do parênquima); de rim (nódulo ou randômica do parênquima); do pâncreas; dos ovários; do útero; da vagina; da próstata; da pelve e das extremidades (braços, pernas).

Existe risco em realizar a biópsia?

De maneira geral, todos os procedimentos médicos envolvem riscos que variam conforme o tipo de intervenção e que sempre devem ser informados aos pacientes. Em relação às biópsias, os riscos variam conforme a localização da lesão, o tipo de biópsia, o tipo de agulha, o tipo de anestesia, das condições clínicas e comorbidades do paciente.

Normalmente, as biópsias de agulha fina de estruturas superficiais em pacientes considerados hígidos possuem os menores riscos enquanto as biópsias excisionais realizadas sob anestesia geral possuem os maiores. Ainda, utilizar métodos de imagem para visualizar em tempo real a agulha e a lesão alvo, como fazem os Radiologistas Intervencionistas, auxilia na redução de complicações.

Idealmente, o procedimento deve ser extensivamente explicado durante consulta médica ao paciente, incluindo informar as vantagens, os riscos e as alternativas do que está sendo proposto.

Existe preparo específico para realizar a biópsia?

O tipo de preparo varia conforme o tipo de biópsia. De maneira geral, o paciente deve estar de jejum e ter tomado as medicações de uso diário (anti hipertensivos, remédios para o diabetes) . Entretanto, existem algumas restrições de remédios que talvez devam ser suspensos com antecedência antes da biópsia, que podem incluir o ácido acetilsalicílico (AAS, aspirina), o clopidogrel (Plavix) e os anticoagulantes (Heparina, Clexane, Marevan, Xarelto).

O preparo adequado bem como as orientações quanto a manutenção ou a suspensão de medicamentos devem ser dadas pela clínica e o médico que irá realizar o procedimento, baseados no risco e nas comorbidades do paciente.

Por que realizar biópsia no CERTA Hospital Dia?

O CERTA Hospital Dia (Centro de Referência em Tratamentos Avançados), traz um conceito totalmente pioneiro no Brasil. Trata-se de uma estrutura hospitalar plenamente capacitada para a realização de procedimentos ultra-especializados e minimamente invasivos de diversas especialidades médicas.

Fornecemos tratamentos de Radiologia Intervencionista, Cirurgia Endovascular e recentemente incluímos Buco Maxilo Facial em nossas especialidades. Com profissionais capacitados e uma clínica moderna fornecemos tratamentos de maneira segura, proporcionando mais conforto e praticidade ao paciente, além de reduzir complicações relacionadas à infecção hospitalar. Somos associados ao CBR, a SOBRICE, ao CIRSE e SIDI, garantindo que estejamos sempre atualizados nas melhores técnicas de procedimentos minimamente invasivos. O CERTA segue todos os preceitos e normas legais vigentes no Brasil, incluindo prefeitura, vigilância sanitária, CETESB, bombeiros e CRM.

 

Tags: procedimentos minimamente invasivos, tratar tumores, metástase em nódulos, biópsia, procedimento minimamente invasivo, Certa Hospital Dia

Agende uma consulta

A consulta com o especialista é fundamental. Faça o agendamento.